Eu
BRASIL, Sudeste, SAO CAETANO DO SUL, SANTA MARIA, Homem, de 12 a 15 anos, Portuguese, English, Música, Livros, Cinema , Futebol , Internet e + Música
MSN - mutatismutante@hotmail.com


Arquivos

- 01/12/2006 a 31/12/2006
- 01/11/2006 a 30/11/2006
- 01/10/2006 a 31/10/2006
- 01/09/2006 a 30/09/2006
- 01/08/2006 a 31/08/2006
- 01/07/2006 a 31/07/2006
- 01/06/2006 a 30/06/2006
- 01/05/2006 a 31/05/2006
- 01/04/2006 a 30/04/2006
- 01/03/2006 a 31/03/2006
- 01/02/2006 a 28/02/2006
- 01/01/2006 a 31/01/2006
- 01/12/2005 a 31/12/2005
- 01/11/2005 a 30/11/2005
- 01/10/2005 a 31/10/2005
- 01/09/2005 a 30/09/2005
- 01/08/2005 a 31/08/2005
- 01/07/2005 a 31/07/2005
- 01/06/2005 a 30/06/2005
- 01/05/2005 a 31/05/2005
- 01/04/2005 a 30/04/2005
- 01/03/2005 a 31/03/2005
- 01/02/2005 a 28/02/2005
- 01/01/2005 a 31/01/2005
- 01/12/2004 a 31/12/2004
- 01/11/2004 a 30/11/2004
- 01/10/2004 a 31/10/2004
- 01/09/2004 a 30/09/2004
- 01/08/2004 a 31/08/2004
- 01/07/2004 a 31/07/2004
- 01/06/2004 a 30/06/2004
- 01/05/2004 a 31/05/2004



Outros

- Artificial Flavored
- Brincando com Palavras
- Caldeirão do Mago
- Discoteca Básica
- Duro na Queda
- Jack Não Tá Fazendo Nada...
- Lulu On The Sky
- Metamorphoses
- Micha Descontrolada
- Museu de Tudo
- My Girl
- No Congelador
- Nós por Nós
- O Blog do Szum
- Observador
- Opiniões Femininas
- Paulamar
- PERNAMBAIANO
- Putz Putz
- Ramsés Séc. XXI
- Under Pressure
- Vivendo Um Dia De Cada Vez
- Uma Janela
- Antigas Ternuras
- Beijo!


Votação

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Visitas

Créditos

No More Tears®



Voltei...pras poesias que deixei...

É minha gente... é ótimo relembrar o passado... voltamos um pouco às poesias...

O pato

Lá vem o Pato
Pata aqui, pata acolá
Lá vem o Pato
Para ver o que é que há.
O Pato pateta
Pintou o caneco
Surrou a galinha
Bateu no marreco
Pulou do poleiro
No pé do cavalo
Levou um coice
Criou um galo
Comeu um pedaço
De jenipapo
Ficou engasgado
Com dor no papo
Caiu no poço
Quebrou a tigela
Tantas fez o moço
Que foi pra panela.

---

O poeta aprendiz

Ele era um menino
Valente e caprino
Um pequeno infante
Sadio e grimpante.
Anos tinha dez
E asinhas nos pés
Com chumbo e bodoque
Era plic e ploc.
O olhar verde-gaio
Parecia um raio
Para tangerina
Pião ou menina.
Seu corpo moreno
Vivia correndo
Pulava no escuro
Não importa que muro
E caía exato
Como cai um gato.
No diabolô
Que bom jogador
Bilboquê então
Era plim e plão.
Saltava de anjo
Melhor que marmanjo
E dava o mergulho
Sem fazer barulho.
No fundo do mar
Sabia encontrar
Estrelas, ouriços
E até deixa-dissos.
Às vezes nadava
Um mundo de água
E não era menino
Por nada mofino
Sendo que uma vez
Embolou com três.
Sua coleção
De achados do chão
Abundava em conchas
Botões, coisas tronchas
Seixos, caramujos
Marulhantes, cujos
Colocava ao ouvido
Com ar entendido
Rolhas, espoletas
E malacachetas
Cacos coloridos
E bolas de vidro
E dez pelo menos
Camisas-de-vênus.
Em gude de bilha
Era maravilha
E em bola de meia
Jogando de meia –
Direita ou de ponta
Passava da conta
De tanto driblar.
Amava era amar.
Amava sua ama
Nos jogos de cama
Amava as criadas
Varrendo as escadas
Amava as gurias
Da rua, vadias
Amava suas primas
Levadas e opimas
Amava suas tias
De peles macias
Amava as artistas
Das cine-revistas
Amava a mulher
A mais não poder.
Por isso fazia
Seu grão de poesia
E achava bonita
A palavra escrita.
Por isso sofria.
Da melancolia
De sonhar o poeta
Que quem sabe um dia
Poderia ser.

 Salve Poetinha!



- Postado por: Mutatis Mutante às 20h36
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




"Because Biko????"

 Peter "Sledgehammer" Gabriel

Apesar de ter conquistado um estatuto de super-estrela que poucos conseguiram alcançar a solo, nunca cedeu a tentações comerciais e a sua carreira foi pautada por um critério louvável, onde a qualidade reinou sempre sobre a facilidade. Desde os quinze anos activo na música, na altura numa banda que mais tarde se tornaria nos Genesis, Gabriel desde cedo mostrou estar um passo à frente da maioria dos seus contemporâneos, como atestam os seus trabalhos com os Genesis na primeira metade da década de 70, que os estabeleceram como líderes na área do rock progressivo. Peter Gabriel saiu dos Genesis em 1976 e imediatamente começou a trabalhar no sentido de editar em nome próprio.

Curiosamente, os seus três primeiros álbuns a solo têm todos o mesmo título: "Peter Gabriel", como se fossem diferentes edições de uma revista. O primeiro deles, de 1977, foi bem recebido pela crítica, melhor do que o segundo, mas foi o terceiro, de 1980, que lançou as sementes do sucesso que alcançaria durante a década de 80. Produzido por Steve Lillywhite, incluía o grande êxito "Biko", dedicado ao falecido activista anti-Apartheid.

Este tema seria um hino da luta contra o racismo, não só na África do Sul, e mostrava que Peter Gabriel não só tinha uma consciência política como já então se apercebia que estava numa posição privilegiada para veicular a sua opinião. Em 1982, lançou "Security" (na verdade um quarto "Peter Gabriel" que nos EUA foi rotulado "Security" e desde então este título ficou o "oficial"), que o aproximou ainda mais do "Mainstream" sem no entanto comprometer a qualidade do seu trabalho.

Pelo contrário, o sucesso de canções como "Shock the Monkey" devia-se ao facto de Gabriel, para além da música, explorar como ninguém o aspecto audiovisual do seu trabalho, realizando vídeos revolucionários. A sua faceta altruísta viria ao de cima através de inúmeras participações em concertos de angariação de fundos para a Amnistia Internacional (ao lado de outros gigantes como Sting e os U2), mas também através da fundação do festival WOMAD (World of Music, Arts and Dance), que ainda hoje tenta estabelecer pontes entre o Ocidente e as diversas músicas do mundo. Para ajudar a financiar o WOMAD, Gabriel participou numa reunião dos Genesis. Enquanto preparava o seu quinto álbum, teve tempo para receber o Prémio Especial do Júri em Cannes (1984) pelo seu trabalho na banda sonora "Birdy", de Alan Parker, e fundou em 1985 a Real World Inc., aprofundando o seu interesse nas artes multi-étnicas e no seu desenvolvimento através da tecnologia.

Finalmente, em 1986, lançou "So", o seu trabalho mais bem recebido de sempre. Este álbum, para além de músicas como "Sledgehammer", "Big Time" ou "In Your Eyes", foi acompanhado de uma série de videoclips que figuram ainda hoje entre os melhores de sempre, particularmente o de "Sledgehammer", que foi distinguido com prémios internacionalmente. Estabelecido internacionalmente como uma das maiores figuras do Pop/Rock, Gabriel dedicou-se muito às digressões da Amnistia Internacional mais uma vez, e fez uma banda sonora para "A Última Tentação de Cristo", de Martin Scorsese. Com o nome "Passion", essa banda sonora ganharia um Grammy em 1989, e no ano seguinte Gabriel lançou uma compilação de êxitos chamada "Shaking The Tree" para compensar a ausência de um novo álbum.

Seria apenas em 1992 que Peter Gabriel editaria "Us". Esta sequela de "So", tão tardia, não alcançou o mesmo sucesso apesar das excelentes críticas recolhidas, apenas o single "Steam" trepou as tabelas de vendas. Sem desanimar, Gabriel realizou a maior digressão do WOMAD em 1993 chamada "The Secret World Tour", editou "Secret World Live", um duplo álbum, e mostrou mais uma vez estar na vanguarda ao lançar "Xplora" em 1994, um CD-ROM interactivo desenvolvido com a Real World.

Depois, em finais dos anos 90, Peter Gabriel dedicou-se a diversos projectos multimédia com esta sua companhia. "OVO", é disso exemplo, uma vez que surgiu no seguimento de uma interdisciplinariedade cultural que envolve música, dança, representação, artes plásticas, etc.

Um espectáculo que decorre no Millenium Dome, em Londres, foi o pretexto para Peter Gabriel criar uma banda sonora que sintetiza toda a história da humanidade. Um projecto ambicioso que só alguém com a visão de Gabriel poderia concretizar. Incluindo influências musicais de todos os cantos do planeta, "OVO" levou dois anos a ser concluído. Mas basta uma audição para concordar que valeu a pena, ou não fosse o nome Peter Gabriel sinónimo de qualidade.

Segundo a editora de Peter Gabriel, entre "Ovo" e "Up", Peter Gabriel "trabalhou em mais de 130 ideias diferentes." Uma delas é a Witness (em www.Witness.org ), "uma organização internacional para os direitos humanos que usa vídeos e computadores para mostrar fortes imagens e histórias de abuso desses mesmo direitos um pouco por todo o mundo. Outra obcessão de Peter Gabriel são os Grandes Primatas que entendem e comunicam através da nossa linguagem. Fez várias viagens a Georgia para trabalhar com alguns, conseguindo interagir com eles através da música, um pouco do mesmo modo como os músicos de jazz faziam jam sessiosn nos vários festivais Womad - Worl of Music, Arts an Dance. Peter ficou fascinado com os resultados com as suas capacidades, tendo sugerido a criação de uma organização que permita aos Grandes Primatas de vários locais do mundo comunicar e tirar partido do potencial da internet, enquanto instrumento de comunicação e de aprendizagem".

Tudo isto culminou, em 2002, com a edição de "Up". Desde "Us", álbum editado em Setembro de 1992, que Peter Gabriel não lançava nenhum trabalho de originais. No entanto, a definição de "Up" surgiu nessa altura.

"Up" conta com as colaborações de Nusrat Fateh Ali Khan, numa das duas últimas aparições antes da sua morte. E conta ainda com os Blind Boys of Alabama, um grupo muito particular de vozes, ao lado de Youssou N'Dour, nas vozes. A voz de Melanie, filha de Peter Gabriel, também entra neste disco.

O novo álbum de Peter Gabriel conta também com Peter Green (dos Fleetwood Mac, na guitarra), David Rhodes (colaborador de longa-data, na guitarra), Tony Levin (outro amigo de longa data, no baixo), Danny Thompson (outro baixista, que já trabalhou com os Talk Talk, David Sylvian, Tim Buckley e Nick Drake, entre outros), e ainda com os bateristas Manu Katche, Ged Lynch, Dominic Greensmith e Will White e, nas percursões, com Ged Lynch, Mahut Dominique e Hossam Ramzy.

"Up" marca também a estreia de Peter Gabriel no comando da produção, e regista uma série de arranjos para cordas compostos pelo próprio músico, que se ouvem, por exemplo, em "Signal To Noise".

O primeiro single extraído de "Up" intitula-se "The Barry Williams Show" e explora os limites dos "reality shows", expondo "o casamento entre comportamentos disfuncionais e a televisão de massas". O vídeoclip deste tema foi realizado por Sean Penn e centra-se num "Barry Williams Show", à imagem de um programa norte-americano bem conhecido.

 Buy this poster now at AllPosters.com!
 "Don´t Give Up!"



- Postado por: Mutatis Mutante às 20h46
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




"Me and Bobby McGee"

 Janis "Mercedes Benz" Joplin

Janis Joplin foi muito mais do que a única branca a alcançar reconhecimento interpretando blues (reduto de músicos negros, principalmente quando consideradas artistas do sexo feminino), foi também cantora de rock, dona de uma voz incomparável, e capaz de imprimir às músicas que cantava uma marca inconfundível de interpretação e sensualidade.

Nasceu em Port Arthur, Texas, em uma família humilde e conservadora que não aceitava facilmente o caminho que ela havia escolhido. Já na adolescência cantava blues e folk inpirada por Bessie Smith, entre outras cantoras. Em 1966 se mudou para a Califórnia e juntou-se à banda Big Brother and The Holding Company. Em poucos meses Joplin tirou a banda da obscuridade, logo assumindo sua liderança (a princípio havia sido chamada apenas para fazer backing vocals). Com esta banda Janis Joplin gravou o álbum Big Brother And The Holding Company em 1967 e Cheap Trills (um de seus melhores) em 1968.

Em busca de mais liberdade de decisão nos rumos que sua carreira tomava Joplin abandonou a banda Big Brother para formar a sua própria, The Kozmic Blues Band. Seu primeiro álbum como artista solo, I Got Dem Ol' Kozmic Blues Again Mama. O resultado porém não foi tão bom quanto o esperado, pois embora a sua nova banda tivesse melhores músicos e melhores condições, não tinha a espontaneidade e sintonia que caracterizaram seus trabalhos anteriores.

Em busca da sonoridade mais simples e eficiente Joplin reformou sua banda com o novo nome de Full Tilt Boogie Band. As mudanças no estilo foram imensas e para melhor, com uma sonoridade que destacava seu vocal que havia se desenvolvido sensivelmente.

Em meio às gravações do álbum Pearl, Janis foi encontrada morta, vítima de overdose de heroína e álcool, ainda com as marcas de agulhas nos braços. O álbum foi lançado com as faixas para as quais ela já havia gravado os vocais. Ironicamente a música Me and Bob McGee foi o maior sucesso de sua carreira, dois meses após a sua morte.

 "Take another little piece of my heart now, baby!!!!"



- Postado por: Mutatis Mutante às 21h04
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




"I Heard It Trought The Grapevine"

Marvin Gaye foi um dos grandes nomes de uma das maiores gravadoras e produtoras de todos os tempos, A Motown, que durante muitos anos dominou o mercado com hits dos Jacksons 5, Stevie Wonder e do próprio Gaye.

Dono de uma abençoada voz de veludo, esse cantor manteve uma carreira brilhante durante toda a sua vida, que terminou um dia antes do seu aniversário, em 1984.

Gaye deixou um legado que ficou para a história da chamada black music, cantando sobre ritmos de R&B e soul, tocando piano e bateria. Ele cantava desde os 3 anos de idade, em corais de igreja, onde rapidamente tornou-se a estrela principal. Mas foi seu período na Força Aérea que o revelou seu talento para um outro cantor, Harvey Fuqua, que o levou para cantar com o The Moonglows.

Em 1961, já trabalhando para a Motown, Marvin Gaye partiu para a carreira solo, tendo muitas dificuldades para encontrar a voz ideal. Mas em 1963 ele emplacou seu primeiro sucesso, Can I Get a Witness, que ficou entre as 30 mais tocadas. O cantor não parou mais, emplacando inúmeros hits, especialmente com o grande dueto que formava com Tammi Terrell, com quem gravou canções como Ain´t Nothing Like The Real Thing, You Ain´t Livin´ Till You´re Lovin´ e Good Lovin´ Ain´t Easy To Come By.

Quando vendia milhares de discos com o sucesso I Heard It Through The Gravepine, Marvin Gaye começou a ter sua carreira abalada. Depois de desmaiar nos braços do cantor em pleno palco, Terrel descobriu que tinha cancêr, do qual acabou falecendo no início de 1970. O casamento de Gaye estava por um fio e sua carreira parecia entrar em declínio.

Mas não durou muito, Gaye deu a volta por cima com suas próprias forças e produziu sozinho o disco What´s Going On. Músicas como Mercy, Mercy Me trouxeram de volta o cantor para o topo, e de quebra abriram o caminho para novos talentos, como Stevie Wonder.

Em 1973 foi a vez de Let´s Get It On, que iniciou a principal fase do cantor: canções sexys, melosas e com boas doses erotismo. Foram hits atrás de hits, como Let´s Get It On - que chegou a topo das mais tocadas - e You Are Everthing, um dos ma
rcos da parceria com Diana Ross. Ele não parou mais de produzir, embora tenha ficado meio em segundo plano entre os anos de 75 e 80. Em 81, Marvin Gaye não estava satisfeito com a Motown e muitos pensaram que esse seria seu fim. Sexual Healing, em 82, ficou entre as "3 mais" e em 83 o cantor teve dois momentos que emocionaram o público, no aniversário da Motown e ao cantar o hino americano no jogo das estrelas da NBA, sua última e gloriosa aparição em público.

Mas nem tudo foram flores na vida do cantor. O pesado uso de cocaína foi um dos fatores que resultaram na depressão do cantor, que morreu assassinado, aos 44 anos, pelo Reverendo Marvin Gay Sr. Após sua morte, seu trabalho foi considerado pela crítica norte-americana "um marco na história do pop" e ele "será permanentemente santificado no panteão dos maiores nomes da música."

 



- Postado por: Mutatis Mutante às 22h13
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Alguém passou por aqui e mandou um abraço....

Bem... eu to sem assunto hoje... acho que vou parar com a seção de reviews de discos...

Um abraço , de alguém.



- Postado por: mutante às 22h56
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Good Morning Vietnam

 Uma das melhores trilhas sonoras já vistas!

O disco começa com "Nowhere to Run" , de Martha Reeves e The Vandellas , com um rockinho primário , básico. Guitarras e vocais gritadinhos... ótimo! Vamos agora com os surfistas do Beach Boys , "I Get Around" , outro rockinho que prima pela base , com ritmo bem surfista... Agora é a vez de Wayne Fontana & The Mindbenders , com seu "The Game of Love" , com um refrão legal pra caraio! Sai um carinha gritando lá trás... "Lovelovelovelove"!

Seguimos com The Searchers , em sua "Sugar and Spice" , outra faixa que prima pelo rock básico... essa música me lembra pretzeis...hehehehe... por incrível que pareça. Vamos de "Liar , Liar" dos Castaways , com um início legal pacas! AS músicas desse disco são meio homogêneas , tudo meio parecido...mas muito bom! Mais uma dos garotos da praia , agora com "The Warmth of The Sun" , desta vez um pouco mais calma , se não fosse um pratinho lá trás , seria uma música à cappela...=D

Vamos com a clássica e eterna "I Got You(Feel Good)" do mestre James Brown! Todo mundo já ouviu essa música...não seja vc também a exceção! Com todo seu swing , James detona!!! Ahh...depois seguimos com "Baby , Please Don't Go!" , do Them...eles(them =D)tocam um rock básico...esses conjuntos são aqueles famosos conjuntos de uma música...foi o caso deles(THEM). Mais um conjunto de uma música , os Marvelletes , com "Danger Heartbreak Dead Ahead" , novamente com o rock básico.

"Five o'clock world" , dos The Vogues , parece que os caras tão correndo pra acabar a música...corre! "California Sun" , dos The Rivieras , é outro rockinho básico...desculpem-me os fãs destes conjuntos , mas é que é tudo parecido...e pra fechar , o lindíssimo Jazz de Louis Armstrong , "What a Wonderfuld World" ,que é de chorar! Me vem uma coisa por dentro , quando ouço essa música... eu não me controlo! E canto junto! Ai ai... isso é bom , meninos...

Falow gALLera! Ah... eskeci de flar... esse filme também é bom para caralho!



- Postado por: mutante às 20h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Tales from Topographic Islands

Um disco da maior nata do rock progressivo!

Um álbum duplo , com apenas 4 faixas , cada uma de 20 minutos. Começamos com "The Revealing Science of God" , uma faixa em que se mostram muito os vocais extremamente afinados e belos de Jon Anderson(copiado por muitos , como o de Sérgio Dias no disco de 1974 dos Mutantes...). Esta faixa(e este disco também) tem motivos místicos , é só ver os títulos...

"The Remembering - High the Memory" continua na mesma linha da faixa anterior. É como dizem alguns..."Tal disco tem uma certa continuidade". Este é um deles!

"The Ancient Giants Under The Sun" é uma faixa que contêm grandes solos(como se as outras não contessem...com 20 minutos de música você tem que usar e abusar dos solos...ou não???Sei lá). O baterista Alan White dá um show nas baquetas lá trás(sempre o baterista fica atrás... :D). Ele bate nos tambores e nos pratos como se estivesse com raiva do mundo , não sei... mas é um show à parte...

E , fechando , "Ritual Nous Sommes Du Soleil" , outra faixa com sinais de misticismo e um improviso vocal do Jon Anderson. Vale ressaltar também os bons solos do Rick Wakeman(outro cara muito copiado , por exemplo , em "Balada do Louco" , pelo Arnaldo Baptista , o eterno mutante!).

Um ótimo disco , por sinal... falou galera!



- Postado por: mutante às 20h29
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Expresso 2222

Genuíno MPB!!! Música de primeira qualidade!

O disco começa com um belo tema instrumental da banda de Pífaros de Caruaru , "Pipoca moderna" , depois letrado por Caetano(em seu disco Jóia&Qualquer coisa , de 1975). A música é instrumental e mostra o ótimo trabalho da companhia de Caruaru. "Back In Bahia" , seria mais ou menos a base de músicas como "Quando" e "Os Mais Doces Bárbaros" , as duas do disco "Doces Bárbaros" , de 1976(Gil , Caetano , Gal e Bethânia). Com ritmo veloz e letra empolgante , um grande sucesso!

"O canto da ema" , do mestre pedreiro e músico João do Vale , na qual se lembra muito dos versos "A ema gemeu no tronco do Juvenár!" Preciso dizer mais alguma coisa?? Depois , o ministro recria um ótimo samba de Gordurinha e Jackson do Pandeiro , na qual se comenta e critica as atitudes do Tio Sam(e o primo Zé...ou seja, nós). Com todo o swing emprestado de Jackson , e improvisos vocais , outra grande faixa do disco!

"Ele e eu" é uma música que marca bem o período do exílio de Gil(1969-1971 , em Londres).O Ele é Caetano e eu , é ele mesmo...:D "Sai do sereno"é uma faixa acelerada , bem ao ritmo dos forrós clássicos(Isso Aqui tá bom demais e Eu Só Quero Um Xodó) , com direito à ilustre participação de Gal nos backing vocals. "Expresso 2222" , um standard da MPB , aqui em sua primeira e eterna versão. Um ótimo sambinha , com uma letra sobre futuro , muito muito boa!

"O sonho acabou" é mais uma faixa com influência do exílio. O sonho a que GG se refere é os B-E-A-T-L-E-S...hehehe... "Oriente" , a última do disco , mostra algumas influências da filosofia oriental(dãããã!) sobre GG. Uma letra muito boa  , particularmente...

Flw gALLera!



- Postado por: mutante às 18h53
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Getz/Gilberto

Bossa Nova na cabeça!!!! Ganhador de 4 Grammys , excelente disco!

Começamos com "The Girl of Ipanema"(ou a boa e velha Garota de Ipanema mesmo...)que tem um excelente solo de Getz e a voz de Astrid(Gilberto , mulher de João) fazendo uma bela participação!Uma das melhores versões de uma das melhores músicas de todos os tempos...:D "Doralice" , de Dorival Caymmi , é muito boa!!!A batida da bossa nova caiu muito bem nesse sambinha do velho marujo(eu acabei de inventar esse apelido tosco...).

"Pra machucar meu coração" , de Ary Barroso , é outra música do cancioneiro brasileiro antigo que ficou muito boa em bossa nova!Esta faixa e a última foram escolhas de João para serem incluídas no álbum. "Desafinado" , que começou como uma provocação de Tom/Vinicius(sempre os dois , ehehehehe!) à alguns cantores que faziam muito sucesso cantando desafinado(por exemplo , Anísio Silva , o terror das domésticas...) , acabou virando um standard da MPB!Essa letra é linda!

"Corcovado" , que já foi até tema de abertura de novela , novamente com a participação de Astrud , está divina! João cantando em português , Astrid em inglês , Tom ao piano e Stan no sax , além da honrosa participação de Milton Banana na batera!"Só danço samba" , outro clássico da bossa nova , com Stan solando no sax ficou muito boa! "O Grande Amor" , com outra letra linda , que toca o coração da gente...E pra fechar , "Vivo Sonhando" , novamente com Stan solando no sax(o João reclamou que o americano solou muito e deixou o violão de Jão meio apagado)...

Bem , é isso... falou gALLera!



- Postado por: mutante às 13h23
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Let It Be... Naked

 Esse disco é bom! Aumenta aí que isso é ROCK'N ROLL!!!!!

Esse disco é a gravação ao vivo do antológico show do telhado , para o lançamento de LET IT BE. Começamos com "Get Back" , em uma versão um pouco mais calma , menos acelerada , um pouco menos de guitarras."Dig a Pony" , em seu ritmo , lembra muito bem o vocal de "With a Little Happy With My Friends" na e-x-c-elente versão de Joe Cocker."For You Blue" , música com uma batida muito legal(não , eles não usam carros...).

"The Long and Windind Road" parece como uma canção de despedida , como se Jonh-Jonh estivesse se despedindo da banda , a banda estivesse acabando(e estava...buáááá!)"Two Of Us" é uma das mais lindas músicas que já ouvi.Um violão lindo , uma letra linda , detona!!!! "I've Got a Feeling" tem um refrão gritado , meio blues(aliás , o Rock nasceu da fusão do Blues com o Country...).

"One after 909" lembra muito o disco dos Stones , "Aftermath"(cavem os arquivos e descobrirão o que digo...)"Don't Let Me Down" , clássica faixa , nunca lançada em discos inteiros(às vezes acontecia de lançarem em compactos...)... eu realmente ADORO essa faixa! Algo que se remoe nas minhas entranhas... é estranho...

"I Me Mine" é outra daquelas em ritmo de despedida , triste e calma. "Across the Universe" é e-x-c-e-l-e-n-t-e !!!!! Só uma frase-lema que a define:"Nothing is gonna change my world"(Nada vai mudar o meu mundo). Eu adoro essa música.E fechando ,  "Let It Be" , grandiosa por natureza... but... "The dream is over"... buááááá... tou chorandu...

Boa noite!



- Postado por: mutante às 18h43
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Sleeps With Angels

Mais uma vez , um disco do poetissímo NEIL YOUNG!

"My Heart" , faixa inicial é uma linda canção sobre amor , me deixa emocionado. Eu gosto muito dessa faixa! "Prime of Life" , outra faixa-canção , já mais rockinho e não falando de amor... pelo que entendo , ele está falando alguma coisa da vida...hehehehe. "Driveby" é uma mais uma música linda , com ritmo lento , parece que fala sobre trânsito , acidentes , não sei... Seguimos com a faixa-título , um pouco mais agressiva , apesar da faixa conter anjos no meio... é estranho...

"Western Hero" lembra muito o estilo de Harvest(comentado aqui há algum tempo...) músicas com cheiro de fazenda.Prosseguimos com a grandiosa(não só no sentido de longa , mas de EXCELENTE) "Change Your Mind"... mais uma vez Neil toca a mente e o coração de seus ouvintes... foi assim com "Old Man" e é assim com esta também.  "Blue Eden" é outra faixa com guitarras meio pesadas e pouca letra. "Safeway Cart" me parece ser outra faixa sobre trânsito...

"Train of Love" , mais canção do que pesada , é mais outra sobre amor... a impressão que tenho é que NY dividiu este disco em trânsito e amor...heheeheheh."Trans Am" , que pra mim parece nome de rodovia é outra balada , em que às vezes dá a impressão que se NY fala e a música acompanha e não os dois juntos..."Piece of Crap" , faixa que parece metal , é muiiiiiiiiiiiito legal... no meio da voz de Neil sai um carinha cantando lá trás...´"PIEEEECE OF CRAAAAP!"... muito loko!E fechando , "A Dream That Can Last" , outra canção de amor ,meio que já se despedindo do disco , que pra falar a verdade... DETONA!

Falou gALLera!



- Postado por: mutante às 20h34
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Caetano Veloso 1968

 Um marco na história da Tropicália!

Começamos com "Tropicália" , faixa que explica desexplicando o movimento...aliás , como o Chacrinha(ídolo dos tropicalistas) estou aqui pra confundir , não para explicar..."Clarice" é meio chatinha , muito calminha... "No dia em que vim me embora" tem um órgãozinho de igreja muito legal no começo. A superclássica "Alegria , Alegria" está excelente! Apesar da falta de acompanhamento dos Beat Boys(do nosso hermanito Tony Osanah) está muito boa!

"Onde andarás" com letra de Ferreira Gullar , me cheira bem a bossa nova... "Anunciação" com participação dos dois Rogérios(Duprat na orquestração e Duarte na letra) é muito legal... batidinha rápida e letra mto boa!"Superbacana" é interessante... rapidinha , letrinha fácil , apesar de não ser comercial...hehehehe "Paisagem" é outra que cheira a bossa nova...apesar da letra meio surreal..."Clara" tem uma pequena participação da Gal Costa...aliás , na Tropicália , todo mundo participava dos outros...

"Soy loco por ti America" é muito legal! APesar de eu não entender nada da letra(está em espanhol...) eu gostei. "Ave Maria" tá parecendo música de igreja..também com esse nome... "Eles" , a última faixa , tem participação dos Mutantes...

Uahhhhhhhhh...que soninho...



- Postado por: mutante às 14h46
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Barulhinho Bom

Barulhinho Bom - Uma Viagem Musical- Duplo

Excelente disco!Pura MPB!

Começamos com "Panis et Circenses" , clássico de Gil & Caetano , interpretada otimamente por Marisa. Sua voz meio aguda cabe bem legal na música , a letra é boa paca(raio)."De noite na cama" , outra de Caetano , é muito boa! O erro crasso de gramática "Beija eu" , mas que musicalmente está totalmente certa! A maioria das letras da MM(Marisa Monte) é bem comercial , tipo aquelas músicas que ficam na nossa cabeça(e na da professora de português , quando dá aula de pronomes...)...hehehe

"Give Me Love(Give Me Peace on Earth)" , de George Harrison , fica muito boa com a participação de Cesinha(quem?) nos vocais , fica um belo contraste. "Ainda lembro" ,é uma baladinha romântica(como quase todas as de MM) e fez muito , muito sucesso nas rádios em 1992... "A Menina Dança" , dos Novos Baianos , é uma levada muito boa(os Velhos Baianos eram expert nisso)."Dança da Solidão" , de Paulinho da Viola , tem uma letra muito bonita(Desilusão, desilusão\Danço eu dança você\Na dança da solidão...)

"Ao Meu Redor" , do Nando Reis , tem uma batidinha legal. Não se parece em quase nada com o Nando dos Titãs... "Bem Leve" , do poeta Arnaldo Antunes , parece poesia concreta... muito legal! "Segue o Seco" , que tem clipe copiado do R.E.M e ganhou uma penca de VMB , é boa pacas! E fechando , "O Xote das Meninas" , grande obra de mestre Luiz Gonzaga! Refrão que fica na cabeça , é um ótimo forró de qualidade(que redundância!) e aproveitaram e jogaram "Asa Branca" na mistura.

PS:Fiz o review só da parte ao vivo... tah bem?

Flw gALLera!



- Postado por: mutante às 22h05
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________




Harvest

 Esse disco é DB!!! Neil Young em ótima fase(como se hoje também não está...).

Começamos com "Out On The Weekend" , bela canção sobre saudade de uma pessoa que viaja todos os finais de semana. Seguimos com "Harvest" , faixa-título , que é outra faixa linda! Me lembra muito fazendas(vide título). Dá-lhe NY!!! Vamos em frente com "A Man Needs A Maid" , com participações de orquestra e faixa deprê... e deixa uma pergunta no ar(When will I see you again????).

"Heart of Gold" é ótima! Não sei se é rock , se é country ,  mas sei que é boa! Fala sobre uma busca incessante de um homem a um coração de ouro...(I´ve been to Hollywood/I´ve been to Redwood/I´ve crossed the ocean for a heart of gold). "Are You Ready For The Country?" se você levar ao pé da letra , parece canção de bóia-fria... hehehehe Mas não é exatamente assim...

A minha favorita , "Old Man" é a seguinte; e talvez a melhor do disco...(dããããã!). Essa letra é meio nostálgica , meio reflexiva, é ótima!(Old Man , look at my life/Life like you were). "There's a world" é meio chatinha , meio lenta... hehehehe. "Alabama" , canção crítica , que critica(ai!) o estado sulista do Alabama , escravista(vide KKK e Guerra da Secessão) e que rendeu muitas discussões com grupos de lá , como o Lyrnyrd Synyrd(Sweet Home Alabama...).

"The Needle and Damage Done" é um réquiem para um grande amigo de Neil , Danny Whitten , morto por overdose , é uma faixa dolorosa(Ui!) Acaba em seu verso mais dramático (Todo junkie é como um sol poente) seguida por uma torrente de aplausos.É o pretexto para iniciar "Words(Between The Lines of The Age)" , empatada com "Old Man" , pontuada por uma guitarra dilacerante e uma linda letra(And the king started laughing and talking in rhyme/Singing words/Words , between the lines of the age). 

Finis.

Falou gALLera!



- Postado por: mutante às 17h56
[ ] [ envie esta mensagem ]

______________________